AÇÚCAR: O GRANDE MAL – Blog da Dominique do Valle
BELEZA E CUIDADOS

AÇÚCAR: O GRANDE MAL

Esta semana será dedicada ao açúcar. Não, não vamos ingeri-lo a semana toda! Haha. Vamos falar sobre ele! No Instagram terão mini posts informativos sobre esse item e aqui no blog terá o complemento do assunto de lá.

O papo será não apenas sobre o açúcar em si, mas sobre os principais perigos que ele nos oferece.

 

t-1

A maioria das pessoas pensam de forma muito genérica que este alimento é ruim por causa das suas calorias. Porém, é muito importante conhecermos melhor sobre o que escolhemos para compor nosso corpo (ou nunca ouviu dizer que “você é o que come”?!). Bom, vou esclarecer umas coisas. Vamos lá?

De acordo com pesquisas recentes, foi constatado que além de engordar e alterar a silhueta, o danado pode causar várias disfunções como a aceleração do envelhecimento, pode se tornar um vício e até mesmo ser o gerador do câncer.

É engraçado, mas quanto mais os estudos desenvolvem acerca do açúcar, mais o item é consumido. Não é estranho?! É como saber que o cigarro faz um estrago todo e continuar fumando. (Você pensou agora: “Ah, mas o cigarro é um vício. O açúcar não.” Sinto informar que está completamente enganada).

O açúcar vicia tanto quanto o cigarro, álcool e outras drogas. E este é um dos motivos para ele ser inserido em tantos alimentos sem que haja a necessidade. Saiba mais sobre isto clicando aqui.

Ele se torna cada vez mais perigoso desde sua ingestão. Começando pelos dentes. Ao ser metabolizado pelo organismo, se torna uma dupla nada boa: glicose e frutose. É evidente que o excesso de glicose no organismo é ruim, porém, quando se tem um excesso de frutose é muito pior.

A frutose advinda do açúcar de cozinha e a frutose ultra concentrada contida no xarope de milho (aquela que adoça refrigerantes, sucos industrializados, etc) só conseguem ser metabolizadas pelo fígado. Já a glicose é facilmente absorvida por vários tecidos, como o músculo, por exemplo. O resultado desse processo é o aumento da gordura corporal, já que o fígado fica sobrecarregado e distribui para outras partes do corpo, formando aquela barriguinha.

 

t-2

Ao chegar no intestino, as moléculas de frutose são absorvidas pela circulação, sendo uma parte processada pelas células do próprio órgão e a outra pelo fígado, que é responsável por processar pequenas quantidades de frutose (não as altas doses ingeridas ao consumir produtos industrializados).

É fato que uma parte da glicose é transformada em energia para o corpo, porém não é o mesmo com a frutose. Esta é uma molécula extra e totalmente dispensável, o que explica o motivo pelo qual o fígado fica sobrecarregado, já que os dois tipos de moléculas são absorvidos por ele.

A parte mais assustadora é que a única forma dele processar a frutose é transformando em gordura. Isto é constatado nos exames sanguíneos pelo aumento de triglicérides, na saúde pelo crescimento de gordura no fígado e, no corpo, pelo abdômen e flancos.

Vale deixar claro que a frutose está presente nos alimentos naturais como frutas, verduras e legumes. Como a natureza é perfeita, todos esses alimentos possuem baixos níveis de frutose, o que não ocasiona problemas ao organismo. Além disso, a frutose natural é rica em vitaminas, minerais e fibras. Desta forma os nutrientes permitem que a frutose natural seja absorvida lentamente pelo organismo.

 

t-3

São dois os itens mais prejudiciais: o excesso e o tipo de frutose. E os dois se dão pelo mesmo motivo, por má ingestão de alimentos fornecidos pela indústria alimentícia. Assim como o açúcar em si, que é um alimento vazio, a frutose contida nesses alimentos processados é vazia e não traz bem algum.

De todos os tipos de açúcar, ela é o mais consumido. Está presente em quase todos os produtos. Quando não está, logo muitas pessoas, por hábito, a colocam sem nem perceber. Ou você nunca deu aquela adoçada no suco, café, ou nunca consumiu aquele biscoitinho “fit” logo no café da manhã?!

São hábitos rotineiros e até culturais que passam despercebidos, mas muito importantes para a nossa saúde e de nossos filhos. Lembrem-se que não precisamos de mais açúcar para sobreviver, já temos o necessário na forma natural.

Vamos nos conscientizar disso e começar a mudança de dentro para fora. Só é preciso compreender e praticar. Se tiver filhos, permita que ele seja saudável desde pequeno. Não adoce seus alimentos, deixe que eles descubram o real sabor. Assim estarão livres das disfunções causadas pelo açúcar.

Meu nome

Você também vai gostar!

Sem Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.