PARIR É UMA FESTA: CELEBRAR A CHEGADA DO BEBÊ PODE CUSTAR ATÉ 10 MIL
BABY PLANNER GRAVIDEZ MATERNIDADE

PARIR É UMA FESTA: CELEBRAR A CHEGADA DO BEBÊ PODE CUSTAR ATÉ R$ 10 MIL

capa-chegada-do-bebe-recepcao-maternidade

Gastos com receptivos, fotos e até maquiagem aquecem ‘mercado da maternidade’

DICA
DE BABY PLANNER – ASSESSORA GESTACIONAL E MATERNA – CONSULTORA DE ALEITAMENTO




Lorena tem que estar disponível 24 horas. Dorme ao lado do celular quando uma de suas clientes entra na 37ª semana. Ela não é obstetra: a fotógrafa integra um segmento que se especializa a cada ano e que faz mamães desembolsarem até R$ 10 mil, antes mesmo de levarem o neném para casa.

O atual mercado da maternidade inclui não só a costureira do enxoval: tem buffet receptivo, decorador, fornecedor de lembrancinhas, fotógrafo – antes, durante e depois da gravidez –, e até maquiador.

“Eu não sou das mães mais aplicadas, mas por mais que você não queira, é levado a esse mundo cheio de possibilidades”, conta a comunicadora Rita Batista, 38 anos, mãe de Martim, que nasceu há duas semanas.

A psicóloga Giordana Reis, 35, fez questão de fazer uma recepção na maternidade para convidados. “Eu não sabia se queria ter outros filhos, então quis realizar tudo com Helena”. A festinha foi montada com lembrancinhas, decoração e doces para receber parentes e amigos que iam visitá-la após o parto. “Tive Helena em uma sexta, no sábado recebi cerca de 40 pessoas na maternidade e, no domingo, recebi umas 20”, lembra.

Giordana e a filha Helena, 2 anos, que teve 11 mensários antes de completar um aninho (Foto: Arisson Marinho)

Giordana conta que escolheu uma maternidade que tivesse sala de apoio junto ao quarto, já pensando nas visitas. “Sabia que faria cesárea. No dia cheguei lá já tentando conseguir o quarto que tem antessala, porque nem sempre tem vaga”. A mãe caprichosa decorou a maternidade com o mesmo tecido do enxoval de Helena, hoje com 2 anos. “Tinha a letra H e quadrinho de ursinhos também decorado com o tecido”, relata.

Em alta
Se antigamente as próprias mães passavam os dias antes do parto confeccionando lembrancinhas, hoje não faltam opções pessoas para cumprir a função. “A Bahia tem profissionais de excelência. Hoje, as mães e pais encontram a facilidade de um trabalho artesanal qualificado”, resume Priscilla Diniz, dona de uma confeitaria na Pituba especializada nesse tipo de recepção.

Segundo ela, esse tipo de celebração tem sido cada vez mais procurado: na empresa dela são cerca de 30 recepções em maternidades por mês.

“Fazemos ursos de chocolate, cookies, cakepops, mini sanduíches… É todo um clima em torno do nascimento da criança”, explica a empresária.

O preço médio de uma recepção na maternidade é R$ 1,5 mil – as minifestas mais elaboradas, com artigos de prata como lembrancinhas, saem por até R$ 6 mil. Em geral, a celebração se resume a itens de alimentação, decoração e lembrancinhas arrumados em uma mesa disponível em uma sala do hospital.

Priscilla Diniz, que se especializou no ramo de festinhas e receptivos em maternidades, atende a 30 clientes por mês em Salvador (Foto: Divulgação)

Champanhe 
A mamãe Ana Paula Neves, 36, investiu R$ 1,5 mil em seis tipos de lembrancinhas na recepção da maternidade, dentre elas, mini-garrafas do champanhe Chandon. O buffet custou R$ 650 e incluiu doces e balões personalizados com o nome da filhota recém-chegada – Mariana, hoje com cinco meses.

Ana Paula lembra que receber visitas logo após o parto foi cansativo, mas não se arrepende.

“Faria de novo a recepção e com quantidade maior de itens. É uma forma de agradecer a quem vai te visitar no momento da chegada do bebê”, conta.

Hora e acerto
Às vezes, o neném antecipa a chegada, e os prestadores de serviço têm que se virar para fazer a festa antes da data marcada. “Procuramos oferecer opções com prazo de validade maior, como biscoitos e pães de mel, porque às vezes o bebê não nasce no dia marcado. Já tivemos que virar a noite para não deixar de atender à mãe”, conta Priscilla Diniz.

Para fazer desde uma recepção simples até uma minifesta na maternidade, é preciso comunicar antecipadamente ao hospital. Segundo a assessoria do Hospital Santo Amaro, regras de biossegurança e de silêncio precisam ser respeitadas. Por exemplo, a comida não pode chegar exposta, sem embalagem e o consumo de bebidas alcoólicas é proibido. Uma equipe de Nutrição e Enfermagem orienta previamente a família que quer fazer a recepção.

Maquiagem
Mas engana-se quem acha que o mercado envolve só a turma do receptivo. No momento do parto, o obstetra pode dividir espaço com fotógrafos e até maquiadores. Samara Floquet conta que já foi requisitada para maquiar uma gestante pouco antes da cesariana.

“Ela queria sair bonita nas fotos com o filho depois do parto”, conta a maquiadora.

O maquiador Dan Enzi explica que se especializou no tema. “Em geral, a maquiagem tem que ser mais carregada. As gestantes pedem muito para afinar o rosto. Reclamam que o rosto fica inchado na gravidez e querem disfarçar nas fotos”, conta ele, que faz em torno de oito maquiagens em gestantes por mês.

O investimento fica entre R$ 100 a R$ 150.

Rápido, pra postar
Outro profissional que participa de perto da gestação é o fotógrafo. Ensaios de gestante, do recém-nascido e mesmo fotografia profissional durante o parto são comuns, hoje.

O fotógrafo Ricardo Santiago, que está no ramo há três anos, conta que, em 2016, 46 ensaios de recém-nascidos com cenário e figurino, o chamado ensaio newborn – este ano foram de três a quatro bebês por semana. “Já passei de 100. Perdi a conta”, revela.

O trabalho dura de 3h a 7h, e além do plantão, o fotógrafo entrega parte do trabalho em menos de 24h. “Assim que acaba o parto, seleciono as principais fotos, trato e faço um clipe para enviar para a mãe. Eu entendo a ansiedade, sei que ela quer divulgar nas redes sociais”, conta a fotógrafa Renata Casali, no ramo há 5 anos. O serviço de fotografia custa, normalmente, entre R$ 500 e R$ 1.000.

Na sala do parto, tem que organizar pra caber todo mundo. “A mulher tem direito a um acompanhante, que habitualmente é o pai. Se a mãe quiser, pode solicitar a entrada de um profissional para fotografar, ou de uma doula. Não há proibição do hospital ou do obstetra, isso apenas precisa ser acordado”, explica o obstetra José Carlos Jesus Gaspar, membro da Câmara Técnica de Obstetrícia do Cremeb.

Confira algumas imagens feitas por fotógrafas especializadas em gestantes

(Foto: Renata Casali/Divulgação)

 

Assim como o obstetra, o fotógrafo também tem que ficar de plantão. “Fico disponível para a mãe na fase entre 37 e 42 semanas de gestação. Acompanho todo o processo do parto até os primeiros cuidados com a criança”, conta a fotógrafa Lorena Vinturini, que faz o chamado ensaio lifestyle – fotos da família como um álbum de lembranças.

Rita Batista optou pelo lifestyle e fez cinco ensaios de grávida enquanto esperava Martim. “Acho importante, porque o protagonismo na gravidez é da mãe. As pessoas esquecem da mulher, acham que ela é só peito e amor sacrificial, que ela tem que estar acabada, descabelada para ser mãe. Não tem nada!”, contesta.

Ela diz receber muitas críticas por estar se cuidando na maternidade. “Outro dia fiz drenagem enquanto ele dormia, e publiquei. Recebi umas mensagens dizendo ‘tem tempo até pra fazer drenagem’. Se eu não tivesse, faria com ele pendurado no peito. Você não deixa de ser mulher, tem que se cuidar”, afirma a comunicadora.

Rita Batista e o marido, Marcel, com Martim, que nasceu há duas semanas: já gastaram com cinco ensaios fotográficos (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Chá de revelação
As famílias que querem festejar as etapas do nascimento da criança sem gastar muito se planejam com antecedência – às vezes, mesmo antes de pensar em engravidar. As mães investem em acessórios para a festa e reúnem esforços da família na confecção da brincadeira.

Natália Guimarães, 32, servidora pública, fez um chá revelação para anunciar – e saber – o sexo do bebê. A festa de 30 pessoas aconteceu em casa e parte da decoração foi feita pela família, assim como as lembrancinhas. “Contratamos apenas um serviço de crepe, encomendamos doces e alugamos os suportes”, conta a administradora, que está na 15ª semana de espera por Leonardo, seu primeiro filho. Ela é dona do perfil no Instagram @queremos_baby, onde trata do assunto.

Natália, na 15ª semana de gestação, promoveu festa para revelar sexo do bebê (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

O chá de revelação é uma festa que é feita para revelar o sexo do bebê para pessoas próximas e os próprios pais. O sexo pode ser revelado através de bolo, que quando cortado tem a massa da cor azul ou rosa (um simples custa em torno de R$ 600), fumaça colorida (R$ 45 a unidade) e até fogos de artifício (R$ 1.250 o kit para 2 minutos de explosões vermelhas ou azuis).

“Fiz o exame de sexagem fetal e entreguei a senha do laboratório para uma moça da loja de balões. Só ela sabia o sexo do bebê”, explica Natália.

Quando o balão do chá-revelação é estourado, saem dele confetes e bexigas azuis ou rosas, anunciando se o neném é menino ou menina. Um balão desse tipo sai por cerca de R$ 150.

Veja o vídeo do momento da revelação

Algumas mães chegam a se especializar em festas para economizar. A psicóloga Giordana Reis, 35, fez curso de decoração antes mesmo de engravidar, já pensando nas comemorações. “Eu sabia que ia querer fazer todos os mesversários e fiz curso de decoração de festas pensando nisso. Quando tava noiva, já fui comprando porta-bolos e outros itens”, conta a mãe de Helena.

Ela aproveitava objetos da própria casa para a decoração – o tema bonecas foi escolhido para o primeiro mês e foi feito com as bonecas da própria Helena. Um verdadeiro exército era montado com a família para dar conta das comemorações. “Eu, meu marido e os avós de Helena dormíamos super tarde preparando as festinhas”, lembra Giordana, que gastava no máximo R$ 1.000 em cada mesversário da filha – todos os 11 foram comemorados.

Mercado cresce mesmo em meio à crise
O ‘mercado da maternidade’, que envolve festinhas para o nascimento, chás de fraldas, ensaios fotográficos e até anúncio do sexo da criança, está em expansão. É o que garante o analista técnico do Sebrae-BA, Diógenes Silva, para quem o segmento ainda tem muito a se desenvolver. “Começou a crescer e se especializar recentemente, não tem tanta concorrência, por isso não foi tão afetado pela crise”.

E mesmo os pais que não podem gastar muito não deixam de festejar. “O nascimento de um filho é a celebração maior na vida de um casal. Eles querem que seja uma festa e continuam fazendo a comemoração”, afirma Priscilla Diniz, dona de uma confeitaria em Salvador especializada no segmento.

“Tem mães que optam pelos kits mais simples, que custam a partir de R$ 700”, conta Graça Dias, proprietária da Mundo Caramelo, empresa que promove festas e eventos em Salvador há 6 anos.

Outra vantagem do mercado é que o casal geralmente é fiel ao profissional contratado. “O produto para a maternidade mexe muito com o emocional, por isso os clientes são mais exigentes e se mantêm fiéis aos fornecedores, não só pessoalmente, mas também indicam para familiares e amigos gestantes”, explica o analista do Sebrae-BA. “Começa no casamento, depois faz foto da gestante, do parto, do recém-nascido, do aniversário… a gente fica pro resto da vida”, conta a fotógrafa Renata Casali.

Brechós e WhatsApp para economizar
Até os casais que não são adeptos das festas não conseguem fugir dos gastos trazidos com a maternidade. Uma alternativa que se apresenta para eles é o mercado dos reutilizados. “Uma parte dos produtos é básica, toda mãe usa. Alguns brechós têm se direcionado nesse sentido, porque a criança usa roupa num período curto”, conta Diógenes Silva.

“Martim tem muitas roupas e paninhos usados. São roupas que um nenezinho perdeu e ele tá aqui achando. Eu e o pai não temos problema nenhum com isso… a gente é da reciclagem”, brinca Rita Batista. Ela reaproveitou não só no enxoval, mas também no quarto do filho.

“O berço e uma cômoda eu comprei no grupo Desapego Kids, do WhatsApp, que tem várias mães trocando e vendendo coisas. São maravilhosos, foram usados por um ano, economizei no mínimo R$ 1.000 aí”, conta Rita Batista.

***

Glossário das celebrações
Chá de apresentação – Geralmente é arrumado em casa; consiste em um cantinho com decoração, lembrancinhas e doces para oferecer mimos às visitas que vão visitar o bebê em casa nas primeiras semanas de vida.

Chá de revelação – Festa que é feita para revelar o sexo do bebê para amigos, família e até para os próprios pais; pode substituir o chá de bebê ou o chá de fralda.

Chá de bebê – Celebração pela gestação. É de bom tom que os convidados levem presentes para o bebê; normalmente a festa é descontraída, a mãe tem que pagar prenda quando não adivinha qual é o presente e a festa é só para as mulheres.

Chá de fralda – Festa feita para celebrar a gestação com a família e amigos e receber fraldas de presente. Lembre de colocar na ponta do lápis os gastos, para acabar não gastando mais na festa que gastaria com fraldas.

Ensaio de gestante – Fotos profissionais que a mãe faz para registrar o período da gestação.

Ensaio newborn – Fotos elaboradas, com cenário e figurino, do neném nos primeiros dias de vida.

Ensaio lifestyle – Fotos que registram a história dos primeiros dias de vida do neném, mostrando a rotina e o carinho entre a família.

Mensário ou mesversário – Comemoração mensal da vida do neném; em geral é comemorado até o primeiro aniversário da criança;

Recepção na maternidade – Celebração feita ainda na maternidade para receber familiares e amigos que visitam o recém-nascido; precisa ser acordada previamente com os profissionais do local.


Via Correio

rodapé-baby-planner-coQuer mais dicas de maternidade?
Entre em contato comigo! Como Baby Planner – assessora gestacional e materna -, estou preparada para te auxiliar em todos os momentos, desde o planejamento da gestação, até o pós-parto. Tenho as melhores soluções em serviços para que sua gravidez seja leve e tranquila.

Gostou do post? Então compartilha nas suas redes sociais. Vamos ajudar mais mulheres!

Entenda como funciona o meu trabalho, quando contratar e se essa consultoria é indicada para você. Clique aqui.

Você também vai gostar!

Sem Comentários

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.